Espero que seja, de alguma maneira, construtivo!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Quando parece utopia

Incrível que as opções para divagar são muitas, porém tenho a impressão de que quanto mais se procura inspiração, mais ela foge de nossas cabeças. Enfim, isto é apenas uma justificativa sincera e atual para os possíveis longos intervalos entre uma postagem e outra. Prometo procurar fazer com que isso não aconteça. O tema dessa postagem, é claro, já está escolhido, ou nem teria motivo para eu estar aqui.


Diante de todos os acontecimentos, parece até utopia imaginar uma sociedade que não precise mais discutir com tanta preocupação temas como pena de morte, violência, prisões lotadas, diminuição da maioridade penal, injustiças cometidas, dentre outras tantas mazelas que nos atingem, que não cabe aqui citar pois alongaria demais meu texto. É perceptível que o bem e o mal se entralaçam em tudo que  o homem faz, isso esteve presente em toda a história. Perante atitudes humanas que nos parecem más demais para cotinuarem desfrutando da vida, podemos nos indignar e dizer que somos a favor da pena de morte, que ela deveria existir sim, e tantas outras coisas que expelimos em momentos de revolta contra nossa própria raça. Analisando mais a fundo conseguimos enxergar que bastam maiores investimentos, preocupação de verdade, escolhas plausíveis na hora de votar, educação de qualidade e todos esses elementos repetitivos. Digo repetitivos pois podemos citar várias e várias vezes em nossos textos, mas ver acontecer, é algo totalmente distinto. Que pena! O que nos falta para esses temas serem realmente resolvidos é primeiramente uma aproximação entre a intenção da lei e sua aplicação, ou seja, precisamos de leis mais rígidas, que realmente façam valer nossos direitos na prática, e não apenas no papel. Isso já seria um bom pontapé de entrada para amenizar os problemas. E que pontapé, pois nossas leis dão o direito à educação, mas o que não vejo é qualidade, oportunidade,  e com essa falta as pessoas buscam outras alternativas para sobreviverem, e é daí que vem muita parte da criminalidade. É, o assunto é deveres importante, e às vezes os 'nossos escolhidos' ainda o tratam com frivolidade. Por fim, concluirei meu texto com o trecho de um outro texto, da Lya Luft, pois diz em outras palavras tudo o que gostaria de dizer: "Se fosse possível - e com real determinação é possível - botar essa meninada em escolas em tempo integral; se fosse possível, e é, expulsar os traficantes das favelas de todas as grandes cidades; se fosse possível, e é, punir exemplarmente os corruptos públicos, dando esperança às pessoas [...]. [...] se cada pessoa que usa maconha ou outra droga fornecida por traficantes pensasse que a cada baforada, cheirada ou injeção está fortalecendo a criminalidade; se os corruptos dos altos e baixos escalões fossem punidos e não afagados" (Revista Veja, ed. 2062, 2008, p. 20), certamente não precisaríamos achar que é utopia a resolução dos temas citados no início do texto.





 Já que o tema foi discutido, sempre pensei em tentar fazer algum tipo de movimento contra aquilo que não achamos correto na política, na socidade... e esse movimento poderia ser na internet, onde está o maior número de jovens, acessando diariamente, porém não consigo imaginar como poderia começar, como poderia ser organizado. Deixo lançada a ideia, e se alguém gostar e tiver sugestões ou alguma ideia parecida postem nos comentários, vamos ver o que podemos fazer. Obrigada!

G.B.A




Link do texto da Lya Luft, o qual tirei o trecho final do meu texto: http://veja.abril.com.br/280508/ponto_de_vista.shtml

14 comentários:

Thiago Henrique Deicke disse...

Todo mundo espera um herói, mas o herói é todo mundo.

Gabriela disse...

Muito bom o que disse Thiago :)

Elder Prates disse...

Ééé, Gaby... Você tocou em pontos essenciais que permeiam e degradam nossa sociedade hoje. Já demorou para termos penas mais severas, já demorou para acabarmos com a corrupção, já demorou para apertarmos o botão certo lá na urna.
Gostei muito do seu texto, e o tema foi muito bem escolhido.
Grande beijo, querida!

Elder Prates - http://www.elderprates.com

Prof. Jaime Moreira disse...

Parabéns pela postagem, Gabriela.

Algo que seria útil: criar uma lista de e-mails dos deputados e senadores. Os sites da Câmara e do Senado trazem os e-mails (um por um). A partir daí, os cidadãos podem expressar os seus desejos a cada votação. Muitas pessoas mandando o mesmo e-mail criariam a pressão necessária para fazer do Congresso um servidor da sociedade.

Câmara: http://www2.camara.gov.br/
Senado: http://www.senado.gov.br/

Meu blog (de Física): http://ilustrandonossafisica.blogspot.com/

Entre Fatos & Livros disse...

Seu texto me fez refletir. Adorei realmente! O tema me interessa!

BjoO
Pri
Entre Fatos e Livros

Salomé Fernandes disse...

O seu texto é muito bom, eu acho que tem que haver o conjunto de tudo: educação, saúde, segurança, para assim uma sociedade melhor. Achei bem interessante a proposta do Prf° Jaime. Mas simseramente, não sei como faço para amenizar o problema =D
Beijos

http://deliriosdesalome.blogspot.com/

Naty disse...

Adoreii o texto, achei bem interessante. ^^

BjO's;*

Rachel Lima disse...

E você tem toda a razão. Sobre a pena de morte, eu sou contra. ):
E também a sociedade está bastante ''acomodada'', confortável. Uma parcela dela está brigando, lutando por seus direitos, mas precisamos dela inteira para cobrar dos nossos ''representantes políticos'' e conseguir todos os nossos direitos ):
ótimo post, Gabriela :D
beijos *-*

Gabriela disse...

Pelas coisas que já li e já assisti, também sou contra a pena de morte, como fica perceptível no texto. Obrigada pelos comentários e elogios, pessoal!

Lidiane Andrade disse...

adorei o texto, é muito legal.

Debora disse...

Assistir ao noticiário ultimamente é assistir à desgraça humana. Fico imaginando que mesmo que tentemos fazer algum movimento, alguma diferença, sempre haverá uma pessoa corrupta que tentará eliminar qualquer sinal de mudança que posso prejudicá-la. Não que não devamos agir, mas sim que devemos agir conscientes de que por mais que procuremos ajudar, sempre restará algo por fazer. É decepcionante sim, mas isso porque nós, em nossa própria força, não somnos capazes de transformar o mundo sozinhos. Sim, eu acredito em Deus, e acredito que é só por meio da ação dEle através de nós que alguma coisa pode ser feita. Acredito que antes de tentarmos buscar a justiça humana, devamos nos entregar Àquele que julga retamente todas as coisas.
Achei muito bom o texto. Vivemos realmente em uma sociedade caindo aos pedaços, e não adianta fingirmos que não o vemos.
Parabéns pelo blog. :)

Kerlynha Maciel disse...

Gaby, seu texto está incrivelmente certo. Isso mesmo, certo! Devíamos nos questionar mais sobre o que se passa na nossa sociedade, todos os seus acontecimentos (positivos e negativos).

Parabéns! E espero que sua criatividade não te dê férias, pois merecemos mais posts seus!

Bjoss
;**

Kerlynha Maciel do Deputamadre
http://kerlymaciel.blogspot.com/

Bruh Surdi disse...

Como você coloca no teu texto, e como muitos colocam nos comentários, é necessário antes de tudo escolher bem os nossos representantes. Todos os representantes. Desde quem queremos para representar nosso curso na universidade, nosso bairro na cidade, nossa cidade no estado. Há uma falta de bons representantes, que saibam e queiram representar e por a cara a tapa na luta por direitos e deveres cumpridos.
O Brasil é um país de leis muito belas, democráticas. Entretanto, pouco ou nunca perfeitamente executadas.
Parabéns pelo post, pelo blog, pela ideia.
Beijos Gabi ;D

Paulo Siqueira disse...

Oi Gabi.

Quando eu era jovem eu tinha certeza que iria mudar o mundo, e acho que mudei...Pelo menos um pouquinho,rs.
Já temos penas e leis muito boas no Brasil, pena que estas penas só sirvam para pretos, pobres e putas.
É muito fácil falar da corrupção dos políticos, falar em aprender a votar e etc. São só palavras sem nenhuma profundidade.
Gabi, volto a dizer que são pessoas como você que mudarão este país, e a maioria dos brasileiros querem mudanças.
Só não podemos retroceder em nossas vitórias, muitos morreram para que pudéssemos votar, não é enchendo o Brasil de prisões que vamos melhorar.
No Brasil ainda existe trabalho escravo, racismo, e uma perversa distribuição de renda.
O mundo não se divide entre o bem e o mau, entre o preto e o branco.
As coisas são mais profundas, mais sérias.

Beijo...