Espero que seja, de alguma maneira, construtivo!

sábado, 15 de janeiro de 2011

Deu no New York Times - Larry Rother (Resenha)

Olá! Hoje irei resenhar o livro Deu no New York Times, de Larry Rohter!

O livro "Deu no New York Times" do jornalista Larry Rohter, que ficou mais conhecido aqui no Brasil quando citou que o ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva possuía gosto pela bebida, reúne diversas matérias do jornalista quando foi representante aqui no Brasil, e mostra suas peculiares impressões e momentos vivenciados em nosso país. É uma leitura interessante e ao mesmo tempo cansativa, instigando a sabermos qual é a impressão dos estrangeiros quando vêm para o Brasil. O autor divide o livro por assuntos começando pela cultura, depois sociedade, política, amazônia e por fim ciência e economia. Cada seção traz as melhores reportagens do autor sobre o tema, e possuem uma mescla de críticas e elogios ao Brasil, apontando principalmente os problemas do governo e da forma de agir do povo, ambas muito singulares. Repetidas vezes parei a leitura e analisei as críticas com fatos concretos que realmente acontecem. O interessante é que Larry Rohter critica construtivamente, apresentando possíveis soluções, fazendo o leitor perceber que o seu interesse não era difamar, e sim apresentar aos estadunidenses o cotidiano brasileiro, de forma a fazer com que se interessassem. Faz questão de deixar claro também que é a sua PARTICULAR impressão sobre o Brasil que ele está apresentando. As soluções expelidas pelo autor, na maioria das vezes, são baseadas em comparações com situações semelhantes em outros países, e ainda, faz muitas comparações do Brasil com os EUA, a fim de familiarizar o seu povo com o nosso povo. Na seção que fala sobre política deixa transparecer o início amistoso de sua relação com o ex presidente e o fim inconstitucional, que o levou a quase ser expulso do país. Alguns comentários chamaram-me mais atenção, como quando fala da natureza flexível da política brasileira, do brasileiro na arte de duplipensar, da natureza flexível da política brasileiro, do hiato que existe com a inteção declarada da lei e sua aplicação, das soluções apresentadas para começar a dar um fim na corrupção, suas ideias para um governo de sucesso, etc. Muitos ao ler a resenha podem pensar: não estou interessado na visão que algum americano possui sobre o Brasil, porém ao ler as reportagens contidas no livro percebemos que são ditas muitas verdades que procuramos muitas vezes ignorar, com certeza tiveram opiniões com as quais não concordei, e podem ter sido muitas, mas o livro abre os olhos para uma visão mais crítica e construtiva. No início da resenha citei que era uma leitura interessante e cansativa, digo interessante pois nos instiga a saber mais e mais, e cansativa pois as reportagens às vezes são repetitivas sobre alguns aspectos que já conhecemos e muito bem, mas como elas foram feitas com o objetivo de familirizar os americanos, é compreensível. Enfim, a leitura serviu para relembrar muitos fatos que aconteceram no Brasil, e principalmente para perceber como somos vistos com nossas atitudes. 


Título: Deu no New York Times: o Brasil segundo a ótica de um repórter do jornal mais influente do mundo
Autor: Larry Rohter
Tradução: Otacílio Nunes
Editora: Objetiva
Ano: 2008
Número de páginas: 416

Abaixo deixarei alguns trechos grafados ao decorrer da minha leitura:

"A política brasileira é um processo de reinvenção refiliação e reacomodação". 
(Nesta parte ele está falando da natureza flexível de nossa política, de como são mutantes as lealdades e alianças entre os partidos, etc).

"A única maneira de o Brasil começar a extirpar a corrupção endêmica e institucionalizada e completar o processo que começa com a mudança do governo militar para o civil em 1985, é a aprovação de uma reforma política abrangente [...]". (p. 152-153)

"Um governo precisa sempre buscar o interesse nacional, e não seguir os caprichos ou projetos favoritos de um só partido ou facção"

Em uma de suas citações fala do conceito de duplipensar, que comentei acima, que foi criado por George Orwell, sendo o poder de manter duas crenças contraditórias na mente ao mesmo tempo. "Os brasileiros são craques nessa arte. Eles são ao mesmo tempo ufanistas sobre o Brasil, e os mais implacáveis críticos de sua sociedade", diz ele.

Peço desculpas por não estarem grafadas as páginas nas citações, é que no decorrer da leitura esquecia de tal detalhe. Obrigada, seria isso por hoje!

G.B.A

8 comentários:

vanessa disse...

Poxa, bem bacana a resenha. Nunca tinha visto falar sobre esse livro, achei interessante. Bom saber o que acham da gente (: UASHAUHS
Beijos, Vanessa
thisadorablething.blogspot.com

Dayanna disse...

ficou mto bom...
Que orgulho! :D
Beijos

Bruh Surdi disse...

Opa Gabi ;D
Gostei muito, como sempre, divagando, devaneando e CONSTRUINDO, né! Me interessei pelo livro, ando lendo tantos clássicos que me esqueço de dar um F5..
Beijos querida!

ARIANE disse...

É Dona Bianca?! a senhorita tem futuro. Otima resenha excelente escrita.

Célia Maria disse...

Hummm, já estou na fila para lê-lo!! Ótima resenha hein?? tem futuroooo!! huashuash
bjaoo, saudades

Amanda disse...

Gostei da resenha *-*
Minha lista não para de crescer shaushuahsas
Beijo

BMBastos disse...

Boa dia. Parece ser um bom livro. Nunca tinha ouvido falar, mas agora vou procurar.
Beijos'

Prof. Jaime Moreira disse...

Depois dessa resenha me interessei ainda mais pelo livro.